“The older I grow, the more I distrust the familiar doctrine that age brings wisdom.” - H.L. Mencken

04
Set 15

Basta uma rápida ida ao google para pesquisar um tema que, ao que parece, precisa ser pesquisado por mais pessoas: a vacinação.
Existem provas em como na China, por volta do ano 1000, já se praticava a inoculação para uma variante da varíola. Essa prática também existia em África e na Turquia antes de ser adoptada na Europa e nas Américas.
A primeira vacina que assim se possa considerar, foi criada em 1796 por Edward Jenner, contra a varíola. Louis Pasteur aparece em 1885 com a segunda vacina a ter impacto na raça humana - a da raiva.
Centenas e centenas de cientistas a trabalharem para a criação de vacinas que salvassem vidas resultaram num mundo menos letal para todos nós. É com alta segurança que entramos em contacto físico com as outras pessoas no nosso dia-a-dia, e é com bastante confiança (certeza, até) que deixamos os nossos filhos na pré-escola e nas escolas, em conjunto com os filhos dos outros. Confiamos que esses pais tenham feito tudo o que está ao seu alcance para proteger os seus filhos das doenças que existem na infância e sabemos que, ao fazermos isso com os nossos, ajudamos a proteger os outros também (crianças vacinadas criam como que uma barreira intransponível para uma doença - chega ali e pára, não se altera, nem evolui. A ideia é que haja tanta criança vacinada que a tal barreira se torne letal para a doença. Não tendo por onde infectar, acaba por morrer).

Mas, e há sempre um cabrão de um mas neste assunto, há quem ache que umas poucas centenas de anos de prática e biliões de vidas salvas não possuem peso suficiente para levá-los a vacinar os filhos. Ao fazerem-no, permitem a infecção e permitem também que o vírus ou doença ganhe força e possa alterar-se, tornando-se perigoso até mesmo para quem esteja vacinado ou com sistema imunitário menos forte.
O mais engraçado é que estes progenitores (usar os termos Pai e Mãe seria ofensivo para quem realmente o é) são todos eles vacinados. Livres de doenças, protegidos contra o reaparecimento das mesmas. E porquê? Porque os Avós das crianças, pais deles portanto, fizeram o que era certo e vacinaram os cachopos quando era altura.
Chegamos a esta geração iluminada por gente mentecapta e mal intencionada que andou a bradar aos céus que isto era perigoso (o médico Americano que começou com esta merda admitiu ter inventado tudo o que teria dito sobre as doenças associadas à vacinação) e houve quem acreditasse.

Há Mães e Pais que, neste momento e bem perto de nós, lutam numa guerra absolutamente horrenda para salvarem os seus filhos, para lhes poderem dar um futuro melhor, livre da iminência da morte via balas ou bombas (não há vacina contra estes, infelizmente) e da doença.
Há Mães e Pais que, neste preciso momento (e se calhar até conhecem uns quantos casos), cuidam dos filhos e das doenças incuráveis que estes têm. Um desejo que tivessem? Cura ou prevenção, diriam. Perguntem.

E vocês, do alto da vossa ignorância e crenças mal-informadas, andam a mandar esta gente toda à merda. Vocês, com a vossa suposta iluminada decisão de não protegerem os vossos filhos, estão a colocar em perigo os filhos dos outros, os pais dos filhos dos outros e todas as outras pessoas que possam entrar em contacto com os vossos filhos.

Vocês insultam quem não tem outra escolha se não sofrer pelos filhos doentes. Vocês mandam-nos à merda com um desprezo e despeito tão horríveis que nem há bem palavras para descrever tanto egoísmo e pura irresponsabilidade.

Há já países a proibirem crianças não-vacinadas de irem para a escola, aplicando até coimas aos pais que não vacinem os filhos. É uma questão de saúde pública mundial.
E depois há países como a Ucrânia que mostram que a vacinação funciona - excepto para duas crianças infectadas por pólio ou os restantes 50% não vacinado por questões de guerra e não por convicções ignorantes.

Sabem o que são os vossos filhos? São vítimas da vossa ignorância. O que andam a fazer é o mesmo que meterem-lhes uma arma carregada nas mãos e dizerem para irem brincar com os amiguinhos.
A vossa sorte é que vocês foram e estão vacinados. Uma sorte, não é? Pois.

publicado por Sónia às 10:56

Setembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO